Últimos Vídeos
Vida Real

É só o meu sono que o Instagram roubou?

Se alguém tiver alguma ideia sobre como me salvar desse mal, por favor, diga antes que seja tarde demais…

A primeira vez aconteceu há algumas semanas. Deixei passar batido.
Depois rolou de novo e durou mais tempo. Fiquei preocupada, mas desencanei.
Aí vi a situação se repetindo diariamente e cheguei a conclusão de que, sim, eu estava viciada.

Viciada em perder meu tempo no Instagram!!!

Calma, vejam bem, não estou dizendo aqui que acho a rede social uma perda de tempo. Muito pelo contrário, já que gosto de postar, ver imagens que servem como inspiração, curtir e comentar nas fotos dos meus amigos…

O lance é que, toda noite vou deitar para, supostamente, dormir e passo mais de três, isso mesmo, três horas atualizando infinitas vezes aquela aba de explorar. Aquela aba em que aparecem fotos aleatórias, de assuntos aleatórios e pessoas aleatórias. Gente que eu nem conheço e que me faz perder o sono.

Eu sei, eu sei, a culpa não é de nenhum deles, é minha! Clico em uma, depois outra, e outra e… Lá se vai meu sono e lá vem a madrugada. É que é todo mundo tão feliz, magro, brilhante, sorridente, bonito… Começo a ficar meio deprimida e abro outra aba no celular para pesquisar sobre dietas, bolsas de marca e relacionamentos perfeitos.

Aí vou para o meu feed… Tá tudo lá, a menina com a mesma vida maravilhosa dos outros feeds. Percebo que não contei que, na verdade, naquela foto fofa meu namorado fazia um jantar surpresa pra mim pois havíamos brigado feio no dia anterior. Também não mencionei que precisei de várias tentativas até meu cachorrinho resolver olhar pra foto fazendo expressão de fofinho.

Ah, já disse que, vez ou outra, uso um aplicativo de edição nas olheiras?! É que a foto precisa ficar boa e eu, bom, eu ando com uma baita falta de sono…

168 Comentários
Divers

10 músicas para: curtir uma road trip

Desculpa, mas tá difícil desapegar do assunto road trip! hahaha Durante nossa viagem de carro pela Califórnia, teve uma coisa que ficou ainda mais clara pra mim: não é legal se não tiver música. Juro! No nosso caso, as horas dentro do carro eram muitas e, algumas delas, tendo um enorme deserto como companhia. Já imaginou tudo isso sem som? Jamais! Se você vai viajar de carro (pode ser pra longe ou nem tão longe assim) e quer uma trilha sonora pra embalar o momento, pode confiar em mim!

Ai, ai, ouvi tanto essas canções que basta dar o play para me sentir transportada imediatamente para as estradas que ligam Los Angeles à San Diego, San Diego à Las Vegas. Estou até sentindo o ventinho da janela aberta bater no meu rosto. Juro! hahaha
Beijos, beijos

13 Comentários
Vida Real

O que os meus 14 looks do dia revelaram sobre mim

A ideia surgiu ao acaso, mas deixou uma lição bem grande pra mim: registrar a mesma coisa, todos os dias, durante um bom período de tempo pode ser a resposta que faltava.

“Maqui, e se a gente fotografasse um look por dia durante a viagem?!”. Foi assim ó, com essa frase inocente, que a coisa toda começou! Durante as últimas semanas, eu e Maqui fizemos uma road trip pela Califórnia e, juntas, vivemos um monte de dias deliciosos (dá pra acompanhar cada um deles lá no canal!).

Olha, ainda que não tivesse câmera, vídeo ou foto: acordo mais cedo para me arrumar toda manhã. Curto esse momento de me preocupar só comigo e não, não é uma questão de “como você tem paciência?”. hahaha Enfim, toma banho, seca o cabelo, faz maquiagem e pronto, lá íamos nós.

As fotos rolavam sempre bem naturalmente, em qualquer lugar bonito que a gente achava no meio do caminho. Uma, duas, três, 14 no total. Eu no meu melhor! Feliz, arrumada, inspirada e, ainda assim, eu! Demorei 30 anos para perceber que isso nunca vai mudar.

Já tentei fingir que não gostava de cor de rosa quando comprei um tênis verde para ir à escola aos 10 anos. Coloquei um pouquinho de algodão dentro do sutiã para ter mais peito aos 13. Tentei ser menos careta e mentir sobre nunca ter pintado o cabelo de colorido aos 15. Fiz promessa para deixar as unhas crescerem aos 20. Cogitei me entregar a um procedimento cirúrgico para ter menos quadril aos 30.

O jeito de posicionar a mão, de virar o pé, de sorrir… Essa sou eu! As roupas e todos os outros detalhes (tipo o tamanho do peito e do quadril) mudam dependendo da pose, da luz e da fase da vida. Mas são os detalhes que aparecem praticamente iguais em todas as fotos que revelam que a gente é e sempre vai ser a gente mesma. Que bom!

64 Comentários