Últimos Vídeos
Beleza

Aquele tipo de vídeo que faz a gente parar pra pensar…

“Você seria perfeita se emagrecesse só um pouquinho”, “você tem um rosto tão bonito”, “já pensou em jogar vôlei com essa altura toda?”, “vestido curto com perna grossa não rola”… Sério: quantas de vocês já ouviram alguma dessas frases? Afff… Acho que eu poderia ficar aqui pra sempre lembrando de comentários que já ouvi das pessoas sobre a minha aparência. Já repararam? É tipo como se as pessoas decidissem coisas sobre você baseadas no que elas veem.

E sem brincadeira: eu nunca tinha parado pra pensar em como essa mesma pressão rola em cima do cabelo até ver o vídeo dessa nova campanha de Dove! Puxa na memória: você foi programada pra achar que mulher mais velha não pode ter cabelo comprido, que ter os fios rosas ou azuis significa não estar nem aí pro mundo, que alisar o cabelo cacheado é a única solução. CHEGA, né?

Sei que o post de hoje é rapidinho, mas, sei lá, vi esse vídeo e me senti inspirada a largar o livro por alguns minutinhos e vir compartilhar essa ideia com vocês. Estamos em 2016, onde, mais do que nunca, legal é ser quem você quiser ser. Loira, morena, lisa, cacheada, colorida, grisalha… Seu cabelo, sua escolha. ;)

Valeu, Dove, por mais uma campanha linda que nos ajuda a enxergar e questionar essas coisas. Bora ser quem a gente quiser ser? Me contem aí nos comentários se vocês já pensaram duas vezes antes de mudar o cabelo, com medo do que as pessoas achariam? Quero muito conversar com as minhas leitoras (e leitores!) sobre isso.
Beijos, beijos

87 Comentários
Comentários

  1. Ana Carolina Mecenero • 22 de fevereiro de 2016 • 18:50

    Eu sempre tive esse problema de “julgamentos” com a minha família. Foi muito difícil aceitarem a ideia do meu antigo “under cut” na lateral. O mundo anda muito cheio de rótulos e isso é muito triste

  2. Caroline • 23 de fevereiro de 2016 • 11:48

    Realmente as pessoas insistem em querer julgar toda e qualquer forma de mudança. Me lembro quando cortei meu cabelo pela primeira vez. Ele estava na altura da cintura e cortei na altura dos ombros e já dá pra imaginar a quantidade de: nossa, mas seu cabelo era tão lindo ou seu namorado gostou do seu cabelo curto? Mas, eu não me incomodo. Hoje estou com os cabelos na altura das orelhas e não pretendo parar a mudança por aqui.

    • Alicia • 23 de fevereiro de 2016 • 16:17

      Isso aí! Muitas vezes quando a gente pensa em mudar fica imaginando muito o que as pessoas pensam, e você foi corajosa e fez o que queria fazer. Tenho certeza que é bem mais feliz assim, nessa liberdade de fazer aquilo que você quer fazer com o seu próprio cabelo!

  3. Luana Claudia • 23 de fevereiro de 2016 • 12:03

    Eu tenho o cabelo cacheado com a raíz lisa, é muito fácil fazer chapinha nele, eu alterno muito entre o cacheado e o liso, meu namorado prefere liso, minhas amigas enrolado. Eu queria não ligar pra isso, mas sempre tem os comentários, me aceito dos dois jeitos, na verdade são minhas duas identidades. Seria bom se as pessoas parecem de dar palpite quando a gente não pede a opinião, por mais que sejam amigas e até mesmo o namorado. Já deixei claro, eu sou assim, eu gosto assim.

  4. Jéssica • 23 de fevereiro de 2016 • 12:09

    E muito bom poder se expressar numa coisa tao nossa como nosso cabelo ne ?! O problema e que muita gente não acha isso tao legal assim, tenho uma amiga que tinha o cabelo pintado de ruiva (que nao e uma cor tao diferente assim) que estava atraz de um estagio e que eles sempre diziam não pra ela, e foi so ela pintar o cabelo de preto que eles magicamente contrataram ela e olha que era empresa grande hein. Chega de preconceitos , o cabelo e nosso e fazemos oq.quisermos com ele

  5. Thainá Esteves • 23 de fevereiro de 2016 • 12:11

    Que vídeo lindo!!! Do cabelo, sorriso, alma e coração a gente é quem sabe! Cada particularidade nossa faz parte de um conjunto lindo pra sermos autênticas e felizes com o que somos e podemos ser!!! ❤️

  6. Ellen Monteiro • 23 de fevereiro de 2016 • 12:12

    Que vídeo lindo. No meio do ano passado eu percebi o quanto as pessoas julgam e se intrometem no nosso cabelo, sou ruiva natural e comecei a pintar de todas as cores que dava na cabeça, cortei curtinho pra doar e mesmo assim as pessoas criticavam, e hoje meu cabelo voltou a ser ruivo, porém não está natural, está avermelhado e eu estou amando porém sempre escuto coisas do tipo: “Você estragou seu cabelo. Você nunca podia mexer naquele cabelão natural. Nossa, cabelo vermelho é de gente maluca.”
    Enfim, eu me sinto muito melhor e adoro a imagem que vejo no espelho, mas as vezes a gente se sente pressionada pela sociedade que quer nos ver num mesmo padrão, com cabelo X e corpo X. Hoje eu vi que demorei pra mudar por medo das criticas, e espero continuar mudando porque não existe sensação mais incrível do que reinventar sua imagem, faz bem pra alma, sou super a favor da mudança, qualquer mulher tem que passar por essas experiências que mudam nossa visão de nós mesmas.

  7. Luana Claudia • 23 de fevereiro de 2016 • 12:16

    Eu tenho o meu cabelo natural cacheado, mas com a raíz lisa, então é muito fácil alisar com a chapinha. E eu gosto de alternar entre o liso e o cacheado, na verdade eu até digo que são minhas duas identidades.
    Só que as pessoas falam demais…
    ex: meu namorado prefere liso, minhas amigas enrolado.
    Querendo ou não os comentários afetam a gente, rola uma insegurança, mas estou aprendendo a lidar com isso. Já deixei claro que quando eu estou afim de usar liso eu vou usar e vou ter sempre meu cacheado de reserva, não vou deixar de usar como eu quero porque a ‘moda’ é aceitar o natural.

  8. Isadora Marques • 23 de fevereiro de 2016 • 12:16

    Oi Karol,eu achei super legal essa campanha,por que existe sim esse preconceito com o cabelo,tanto com a família, amigos e no trabalho também, vem sempre aquele pensamento,a não vou fazer tatoo pq não vão me aceita no trabalho,não vou pinta as pontas do meu cabelo de verde,por que eles não vão te aceita no escritório de advocacia,a gente tenta sair dos padrão,mais eles nos percegue…amei a campanha *-*
    Bjuus..

  9. Luana Claudia • 23 de fevereiro de 2016 • 12:18

    Karol kk acho que foram dois comentários, da primeira vez eu achei que não tinha ido, acho que precisa de aprovação, então exclui esse e aprova o que gostar mais, bjs e desculpa kkk

  10. Kamila • 23 de fevereiro de 2016 • 12:19

    Transcendendo a ideia da forma como vc quer ou nao usar o seu cabelo, na realidade nossa sociedade eh muito critica em relaçao as nossas escolhas, e eh por isso que tanta gente se sente incapaz, sufocada numa realidade imposta…..eh por isso q tantas pessoas tem medo de asumir seus sonhos, seus desafios!!! Engraçado que hoje quase nos 30 descobri q vc eh quem vc quiser, independete de julgamentos…. Realize seus desejos sem medo de dedicar a a isso, e se der errado recomeçe, pq a vida tem que uma so, se podemos apeoveitar os nossos anos por aki para viver todas as experiencias q nos forem plausiveis!!!!! Serio….se der errado….pinte, corte ou se tiver de saco cheio raspe o cabelo…..

  11. Priscila • 23 de fevereiro de 2016 • 12:23

    Ameeeiii…e vc Karol é a minha inspiração, acredita? Estou ansiosa pra ver sua mudança!! E assim quem sabe, eu mude também!! Bjos

  12. Marta Faria • 23 de fevereiro de 2016 • 12:27

    Acho que não devemos ser presos em opiniões.O cabelo é nosso nós é que temos de decidir.Karol acho que se quiser mudar e ficar com rainbow hair ou cabelo platinado vai e se atira de cabeça.Vamos mudar o mundo com a Dove.Women Power.Só quero acrescentar que sou de angola e de portugal portanto tem fãs em praticamente todo o mundo um grande beijinho.Marta

  13. Mellina • 23 de fevereiro de 2016 • 12:31

    Eu acho que cada um tem que ser feliz do jeito que se sente bem. Se a pessoa é japonesa e quer ser loira, morena, ruiva, ter cabelo azul, que seja. Se é negra e quer alisar o cabelo, pintar de loiro, colorido ou assumir os cachos e o cabelo natural, que assuma. Se a pessoa é ‘branca que nem um papel’ e quer pintar o cabelo de platinado, de vermelho, de preto, de azul, de verde que pinte. Mudar o cabelo é a maior forma da mulher expressas os sentimentos, quando uma mulher quer se sentir poderosa ela consegue expressar isso através do cabelo, deixando ele super escovado, mudando a cor, fazendo o que achar melhor. Já se ela ta naqueles dias de baixa auto estima ela também mostra isso através do cabelo, prendendo, deixando natural sem muito ‘charme digamos assim. Em um dos seus vídeos que você falou sobre a homossexualidade e o preconceito de certas pessoas você falou “quem é você pra dizer quem as pessoas podem ou não amar”, e eu penso exatamente a mesma coisa, quem são as pessoas pra dizer que tipo de cabelo as outras tem que usar ou não, por causa da cor, raça e etnia? Se a mulher tem a coragem de mudar o cabelo radicalmente, quer dizer que ela se sente segura de si pra fazer isso. Cabelo liso combina sim com negra, mulata, branca, qualquer uma. Assim como o cabelo branco ta super em alta e não é só coisa de velha (olha a Maqui ARRASANDO com esse cabelo novo e maravilhoso). Acho que quem julga os outros por aparência, preferência sexual, cor, ou aquelas pessoas que vem no canal de uma blogueira e só comenta coisas negativas, são pessoas que não são completamente felizes, porque se perdem o tempo delas fazendo comentários ruins pra qualquer tipo de pessoa, significa que não tem onde gastar o tempo com coisas legais pra fazer.

  14. adrienne • 23 de fevereiro de 2016 • 12:42

    Sendo bem sincera… a gente só não faz o que tem vontade por insegurança e pq leva muito em conta o que os OUTROS vão pensar. e sabe, os outros não tão nem aí pra gente! demorei pra pintar meu cabelo de colorido (hj ele é verde) mas pq fiquei com medo do trabalho… comecei aos poucos e vi a reação e o impacto disso no trabalho, e como sou eficiente no que faço, isso não interferiu em nada, mas como dependia de la, fui aos poucos, afinal, cozinhando aos poucos faz o povo acostumar mais facilmente… mas só por isso… Trabalhando por conta que nem vc.. se joga uai! quem gosta de ti gosta pelo que vc é, e se não for assim, melhor que não goste mesmo! Vê a Maqui, ficou maravilhosa platinada! e cabelo cresce, tem peruca pra caso algo dê errado.. ja testei rosa, amarelo, azul, roxo.. e hj to verde! pra tudo da-se um jeito e cabelo nem é algo definitivo! só mulher maravilhosa nessa propaganda! é isso! empodere-se!

  15. Yasmin • 23 de fevereiro de 2016 • 12:42

    Mudar é tão bom! Adoro inventar moda no meu cabelo, sempre quero fazer algo de diferente. Não deu certo? Ah, cabelo cresce ;)

  16. Luli • 23 de fevereiro de 2016 • 12:57

    Ai Karol, eu tinha assistido esse vídeo de manhã e fiquei muito emocionada, aí abro o blog e tem isso aqui. <3 Eu tenho uma juba cacheada e já ouvi muito palpite… Alisa, não alisa, não corta curto que vai ficar volumoso… Ano passado eu resolvi cortar na altura do ombro, pensei muito, mas quando decidi ninguém conseguiu me fazer mudar de ideia. Conclusão: eu amei!e todo mundo que dizia pra eu não fazer isso amou também e acabou pedindo desculpa haha.
    Ninguém conhece nosso cabelo melhor do que a gente.Ele é nosso e a gente tem mesmo que fazer oque bem entende. E é o que todo mundo sempre diz: cabelo cresce de novo. :)

  17. Luciana • 23 de fevereiro de 2016 • 13:28

    Oi,Karol!
    Vi o vídeo hoje de manhã e fiquei tão pensativa quanto vc.
    Nunca fui de me preocupar com o que os outros vão pensar sobre meu cabelo. (Só na adolescência, quando a gente é cheio de dúvidas e complexos). Mas ultimamente ando super em dúvida sobre o que fazer com meu cabelo e percebo que tem um pouco a ver com a opinião alheia. Tenho cabelo cacheado, mas aliso há uns 3 anos e gosto do meu cabelo nas duas texturas (liso ou cacheado). E agora to num eterno dilema se volto a deixar cacheado ou continuo alisando. Einto que, de alguma forma, atualmente é modinha deixar o cabelo na sua forma natural.

    • Luli • 24 de fevereiro de 2016 • 10:27

      Deixar natural não é modinha não, é que hoje em dia tem muitas mais referencias de mulheres maravilhosas arrasando nos cachos, provando que qualquer tipo de cabelo pode ser um “cabelo bom” e lindo. Aí várias mulheres que gostam dos cachos mas alisaram por pressão social acabam voltando pro natural.
      Cabelo liso é lindo e cabelo cacheado também, até um tempo atras ninguém sabia dessa última parte.
      A minha dica de cacheada: experimenta o natural, além de deixar o cabelo respirar de chapinha ou química, vai que tu goste? E se não gostar, é só alisar de volta né? (:

  18. Mau • 23 de fevereiro de 2016 • 13:32

    No começo desse ano, uma das minhas grandes metas foi de me importar menos com rótulos, deixar de lado aquele pensamento preconceituoso e conservador que desde sempre nos ensinaram; de uma certa forma cresci com uma ideia de que seu cabelo definia sua sexualidade, sua maturidade e até mesmo seu carater, logo, me repreendia muito a mudar, e adquirir aquilo que eu me identificava por extremo medo do que iriam dizer, afinal tinhamos que nos adequar para não transparecer uma pessoa fora do padrão imposto, e isso é um saco né Karol, ser aquele protótipo miserável para sermos respeitados, e de uma certa forma te obrigarem a ser aquilo que dizem ser “bonito” e “correto” quando na verdade o bonito é aquilo que vc mesma deveria julgar. Poxa gente, rotular as pessoas faz com que a nós percamos tanto daquilo que as elas são, seja natural, alisado, crespo, curto, longo, branco, castanho, o belo mesmo é aquele que te agrada diante o reflexo do espelho e não aquele que agrada olhares alheios, afinal, cada um possui uma opiniao e gostos diferentes sobre o mundo não é mesmo?! Mas larguemos nossa visão conservadora e percebamos que na sociedade não existe só aquilo que te agrada, existe uma esfera imeeensa de belezas que servem para ser vivenciados, conhecidos e principalmente respeitados. Hoje sou um oriental de cabelo cinza haha, e estou muito feliz assim. Realmente espero que um dia a sociedade aumente seus horizontes a ponto de não necessitarem e nem mesmo tenham tempo de julgar a vida alheia. Graaande abraço.

  19. Vanessa Lacerda • 23 de fevereiro de 2016 • 13:43

    Oi Karol sou sua seguidora e te admiro demais, amei essa campanha.
    Passei a vida ouvindo de pessoas que eu não deveria pintar meu cabelo e me orgulhar dele ser virgem hahaha acredita?!!
    Pois bem final do ano passado deixei de ouvir as pessoas e encarei um ruivo maravilhoso,
    Resultado? Essas mesmas pessoas amaram como ficou!!!
    Bom é isso essa é a minha experiência!!!

  20. Dani Valenga • 23 de fevereiro de 2016 • 14:39

    Ooii Karol, vi esse vídeo hoje de manhã, normalmente eu pulo esses comercias e vou direto para o que quero ver, mas esse chamou minha atenção logo no começo e no final eu me identifiquei muito com ele. Quando eu tinha uns 4,5 anos eu cortei meu cabelo no estilo joãozinho, sendo sincera, ficou horrível na época, foi só o corte errado, no momento errado. Os anos passaram e de um tempo para cá eu sempre tive vontade de cortar meu cabelo curto de novo, não joãozinho, só pelo menos na altura do ombro, mas todos viviam dizendo: “seu cabelo vai armar”, “não vai ficar bom curto”, “deixa o seu cabelo cumprido, você vai se arrepender” e o que mais mexia comigo “vai ficar péssimo como a dez anos atrás”. No mês passado eu finalmente criei coragem e cortei o cabelo, hoje me sinto muito bem comigo mesma, me sinto completa. Mas posso contar um segredo? No momento que o cabeleireiro foi cortar a primeira mexa meu olho se encheu de lagrimas, não cheguei a chorar, foi só o medo do momento das outras pessoas estarem certas. Elas não estavam. Hoje me sinto muito mais eu, até mais livre, como se pudesse ser quem eu quisesse. Sei que essas pessoas que opinavam pensavam estar fazendo o bem de alguma forma, e não me entenda mal, eu acho que devemos sempre fazer o bem, mas o bem é apoiar a pessoa no que quer que ela queria fazer ou ser (só alguns casos que se salvam dessa definição) e não dizer quem ela deve ser. O mais doido é que muitas pessoas que diziam que eu não devia cortar o cabelo, hoje me elogiam dizendo que ficou muito bem. Uma das escolhas que mais me orgulho de ter tomado, com certeza, é ter cortado o cabelo, eu fiz um bem muito grande a mim mesma. E outro ponto positivo: eu doei meu cabelo para uma ONG que faz perucas para crianças com câncer, então eu sinto que fora me ajudar, eu ajudei outra pessoa. Eu acho que agora mais do que nunca estamos descobrindo que o legal mesmo é ser quem somos, eu amo quando vejo marcas famosas, como a Dove, promovendo o empoderamento e o amor-próprio, espero que essa fase nunca acabe, e se depender de mim, eu vou continuar espalhando essa mensagem.

    P.S: Só para constar, acabou que criei mais coragem e meu cabelo ficou um pouco acima do ombro hahaha.

  21. Luciane • 23 de fevereiro de 2016 • 15:24

    Karol tudo bem? Sou sua seguidora a pouco tempo, mas eu sinto que já a sigo a muito tempo kkkk. Adoro seus posts e videos. Você é autêntica, divertida, inteligente, desejo a você muito sucesso. Assistir o video da Dove e está de parabéns. A Dove revolucionou com este comercial.Vivemos em uma sociedade com rótulos e julgamos, não só as pessoas, mas tudo, sem ao menos conhecer ou experimentar. Rotular alguém é muito grave, porque, as vezes podemos criar problemas de ordem psicológica, na qual, prejudicamos este individuo, sem ao menos pesarmos nas consequências. Temos que reconhecer o valor de cada um, não somos perfeitos e fazer uma leitura de nós mesmo, antes de apontar o dedo para o outro, na minha opinião deveria ser primordial. Portanto, somos indivíduos únicos, com sentimentos, características e esteriótipos diferentes e temos o direito de sermos, vivermos, mudarmos nosso visual, sempre que acharmos necessário. Perdemos tanto tempo preocupados com o outro e não olhamos para nós. Deveríamos utilizar deste tempo para amar e ajudar o próximo, aceitando suas características, desta forma o mundo seria bem melhor.

  22. Tassi • 23 de fevereiro de 2016 • 16:00

    Nossa que conhecidencia vi esta propaganda hoje. E achei o máximo, sempre fiz chapinha e sempre me criticaram, até na época da escola eu apelido era chapinha! Rsrsrsrs Qual o problema se isso me faz bem me faz senti mais bonita, mais feliz e de bem comigo mesma!! Está propaganda nos mostra que temos o direito de fazer o que nos faz bem, e nos faz feliz. Vai se joga e seja feliz 😉☺️😘

  23. Ana Beatriz M. • 23 de fevereiro de 2016 • 16:07

    Nossa, Karol, esse video cai como uma luva para a sociedade que vivemos, cheia de preconceitos, tabus. Há uma pressão para que todos sejam “iguais”, tenham os mesmos padrões, mas isso só nos impede de sermos verdadeiros com o nosso eu.
    Eu gosto muito de observar e percebo que há preconceito em tudo, cara. Ainda mais se você é negro, pobre e não tem cabelo liso. Qual o problema com o cabelo cacheado, minha gente??? Eu sou cacheada e nunca pensei em mudar. E se você alisa, qual o problema também? Somos quem devemos ser e nada mais.

    Um super beijo, Karol c/ K :**

  24. Raquel • 23 de fevereiro de 2016 • 16:11

    Que campanha incrível. Sempre quis ser loira e todo mundo me olha e fala: Você não vai combinar loira! Mas e se eu me gostar loira? Como eu posso me boicotar pensando na opinião dos outros?? O importante é a pessoa se sentir bem e o que os outros dizem é apenas o que eles dizem.

  25. Alicia • 23 de fevereiro de 2016 • 16:14

    Assisti a propaganda hoje também, inclusive antes de assistir seu último vídeo, Ká! Achei ele lindo e me motivou a ser mais do que eu gostaria de ser. Eu tenho cabelo cacheado natural, e depois dos 12 anos (hoje tenho 18) comecei a alisar. Meu pai diz que prefere ele natural enroladinho. Já minha mãe prefere ele liso. E nenhum deles pergunta como eu gosto do meu cabelo! Esse vídeo me motivou com certeza a manter o meu cabelo da forma que é mais agradável à mim, porque né? O cabelo fica na minha cabeça! HAHA

  26. Rick Negreiros • 23 de fevereiro de 2016 • 16:57

    Karolinda, você sempre arrasando em tudo. É bem comum também escutar essas coisas com os meninos, tipo: “Você tá gordo, vai na academia” “Você é homem, e homem não assisti isso” “Você tem que trabalhar, você é homem”, já ouvi e continuo ouvindo isso e outras coisas também. Achei incrível essa campanha da Dove, promover que todas as mulheres são todas de si mesma, e além do mais, mostrar que elas podem ter o cabelo que quiser, do jeito que quiser, o importante é se sentir bem com o que vê, isso é gratificante. Eu sendo homem, admiro uma mulher quando vejo que ela é ela mesma, sabe? Não precisa de rótulos para ser linda, autêntica… Bem, fico feliz com essa campanha!
    Beijos minha Rainha, e eu te amo demais♥

  27. Eduarda Passos • 23 de fevereiro de 2016 • 17:17

    Vi hoje essa propaganda e super amei! Com uma sociedade ainda cheia de rótulos, é sempre bom ser diferente! ❤ Bjão

  28. giovanna • 23 de fevereiro de 2016 • 18:56

    ai karol, nada como grandes marcas impulsionarem pensamentos tão fortes e maravilhosos ne?? eu sou super a favor a mudanças radicais desde que elas façam a pessoa feliz de verdade, e sem se preocupar com a opinião alheia ou rótulos bobos :))) muitos beijos, amo você !!

  29. CAROL • 23 de fevereiro de 2016 • 19:16

    Quando alisei o cabelo muitas pessoas me julgaram,disseram que eu estava fugindo da minha natureza e que eu deveria assumir os cachos.no começo nem me emportava mais depois de um tempo isso passou a me encomodar,eu não entendia o porque das pessoas me julgarem dessa forma,eu gostava dos cachos mais me sentia muito mais bonita com o cabelo liso.
    Até que um dia eu resolvi não ligar para o que os outros pensam de mim,sou feliz com o meu cabelo assim, vi no teu snap vc falando que queria mudar mas meio que esta com medo do que vão pensar, a minha dica é: mude se tiver vontade de cortar,alisar,pintar faça isso o impotante é vc se sentir bonita os comentarios são só comentarios…

  30. Jéssica • 23 de fevereiro de 2016 • 20:51

    Vivemos em um mundo que a sociedade é exigente, mas nunca devemos tentar agradar eles porque nunca agradamos todos.
    Cada um tem sua escolha e acho que a melhor forma é fazermos algo por nós e não pelos outros, atualmente cortei 10 dedos de cabelo, muitos falaram você é louca, pq fez isso, mas também houve pessoas que elogiaram, mas percebi que a única pessoa que deveria gostar de mim seria eu mesma, a cada mudança, passo. Temos apenas uma vida, uma chance, uma só de nós no mundo, ou seja, as vezes não é ser egoísta é ser somente nós.

  31. Giovanna • 23 de fevereiro de 2016 • 21:15

    Karol,vc eh mto linda,talentosa e incrível e eu piraria se vc me respondesse seriooo.A minha pergunta é:Que mês o livro será lançado?Vi seu snap e fiquei mto feliz por vc!!!a capa deve estar lindíssima! Te amo!!!

  32. Janaína Pereira da Silva • 23 de fevereiro de 2016 • 22:23

    Chegou a hora de fazer do meu jeito. Estou nesse momento com tudo, com a vida, com o meu jeito de viver, com o meu corpo, com o meu cabelo. Desde pequena sempre ouvi tudo o que eu deveria fazer. Deixa o seu cabelo assim, faz aquilo, faz isso. Você é assim, você é assado… Chegaaaa.

  33. Alessandra • 24 de fevereiro de 2016 • 09:24

    Acabei de completar 30 anos e até hoje não pude ter o cabelo turquesa que sempre quis. Por motivos de saúde ainda moro na casa dos meus pais e minha família me infernizaria se eu pintasse. Esse ano espero que muitas coisas mudem(pra melhor!) pra eu poder ser exatamente do jeito que sou, sem ninguém pra me atazanar hahahaha

  34. Ize • 24 de fevereiro de 2016 • 09:28

    Karol, por muito tempo eu fui extremamente infeliz com a minha aparência, tenho cabelo cacheado e as frases “você não pretende fazer progressiva?” e “queria te ver de chapinha” foram começando a cair na rotina. Nunca cedi, mas muitas vezes desejei desaparecer. Sabe os filmes de romance colegial, nos quais a protagonista desengonçada de cabelo crespo, óculos e aparelho dental sempre ganha uma makeover (alisando o cabelo e botando lentes) antes do garoto se apaixonar por ela? Passei a adolescência esperando a makeover, mas hoje entendo que não preciso mudar nada para que os outros me amem, desde que eu olhe no espelho e fique feliz com o que vejo.

  35. Letícia Caetano • 24 de fevereiro de 2016 • 13:12

    Oi, Karol! Vi a propaganda da dove em um dos seus vídeos no youtube e lembrei do seu snap e corri pra cá! Eu amei o vídeo e sinceramente adorei a atitude da marca. Já passei e até hoje passo muito por isso. Eu ouvi que o ruivo do meu cabelo nunca me ajudaria arrumar um emprego, ou se eu continuasse colocando cores fantasia nele. Se eu o deixasse cacheado ia sempre aparentar estar mal arrumada e deselegante… Sempre fui muito de dizer que a pessoa tem que deixar de ser ela mesma para ter um emprego. Já reparou? Tatuagens, cabelos coloridos, maquiagem, roupas… E isso é triste. É triste ver perdermos a identidade que sempre lutamos para conquistar… É triste vermos que por mais que haja as lutas de sempre sermos quem somos, vamos ser oprimidos por uma necessidade. Então a dove está de parabéns por mais uma vez dar na cara da sociedade.

  36. Lílian Lustosa • 04 de abril de 2016 • 01:58

    Esse vídeo e essa campanha foi inspirador! Nosso cabelo, nossa escolha! E não só o cabelo, né?! Hoje em dia a “sociedade” quer impor tudo…nossa maneira de se vestir, nosso corpo, cabelo…tudo!
    Precisamos entender que nós somos donas do nosso corpo e fazemos dele o que acharmos melhor! :)
    Amei seu post, e amoooo seu blog e canal! Sou super sua fã! :)
    Super beijos
    ❤❤

  37. Larissa Faria • 02 de julho de 2016 • 17:50

    Eu amei tanto o post que decidi até fazer um no meu blog comentando sobre o assunto. É muito importante abordamos esse assunto com as pessoas, hoje em dia as pessoas andam tão preocupadas em ficarem perfeitas que acabam se esquecendo do quão perfeitas ela são. Dove arrasou na campanha e você também Karol por compartilhar sua opinião com a gente! Vamos ser o que a gente quiser =)